Os amigos de Hitler

Por Eduardo Galeano (traduçom do Galizalivre)/

Os amigos de Adolf Hitler tenhem má memória, mas a aventura nazi nom teria sido possível sem a ajuda que deles recebeu.

Como seus colegas Mussolini e Franco, Hitler contou com o precoce beneplácito da Igreja Católica.

Hugo Boss vestiu o seu exército.

Bertelsmann publicou as obras que instruírom os seus oficiais.

Os seus avions voavam graças ao combustível da Standard Oil [hoje Exxon e Chevron], os seus soldados viajavam em camions e jeeps da marca Ford.

Henry Ford, criador desses veículos e do livro O judeu internacional, foi a sua musa inspiradora. Hitler agradeceu-lhe todo condecorando-o.

Também condecorou o presidente da IBM, a empresa que tornou possível a identificaçom dos judeus.

A Rockefeller Foundation financiou investigaçons raciais e racistas da medicina nazi.

Joe Kennedy, pai do presidente, era embaixador dos Estados Unidos em Londres, porém mais parecia embaixador da Alemanha. E Prescott Bush, pai e avô de presidentes, foi colaborador de Fritz Thyssen, quem pujo sua fortuna à disposiçom de Hitler.

O Deutsche Bank financiou a construçom do campo de concentraçom de Auschwitz.

O consórcio IGFarben, o gigante da indústria química alemá, que depois passou a se chamar Bayer, Basf ou Hoechst, usava como ratos de laboratório os prisioneiros dos campos, e além disso usava-os como mao de obra. Estes operários escravos produziam de todo, incluindo o gás que ia matá-los.

Os prisioneiros trabalhavam também para outras empresas, como Krupp, Thyssen, Siemens, Vasrta, Bosch, Daimler Benz, Volkswagen e BMW, que eram a base económica dos delírios Nazis.

Os bancos suíços ganharam umha nota preta comprando de Hitler o ouro de suas vítimas: suas jóias e seus dentes. O ouro entrava na Suíça com assombrosa facilidade, enquanto a fronteira estava baixo sete chaves para os fugitivos de carne e osso.

A Coca-cola inventou a Fanta para o mercado alemám em plena guerra.

Nesse período, também Unilever, Westinghouse e General Eletric multiplicarom ali os seus investimentos e as suas ganâncias.

Quando a guerra terminou, a empresa ITT recebeu umha milionária indenizaçom porque os bombardeios aliados danificaram as suas fábricas na Alemanha.

Fragmento do livro Espejos