Causa Galiza anuncia que activará “Processo Trevinca” para desenhar colectivamente linha de acçom independentista

Por José Manuel Lopes Gomes /

Causa Galiza aproveitou no passado fim de semana para apresentar a campanha que desenvolverá com motivo do Dia da Pátria ; o acto, censurado pola totalidade da mídia oficial, nom só serviu para apresentar as linhas mestras da reivindicaçom independentista que se patenteará nas ruas nestas semanas prévias ao dia nacional. A organizaçom aproveitou a comparecência para anunciar o arranque do ‘Processo Trevinca’, umha actualizaçom colectiva da intervençom arredista nos próximos anos.

Causa Galiza chamou os meios de comunicaçom no passado sábado a umha rolda de imprensa frente a Sam Martinho Pinário, empraçamento tradicional do independentismo com especial carga simbólica : foi ali onde se agrupárom os últimos resistentes da revoluçom galega de 1846, e desde há mais dumha década, o movimento escolheu este lugar para apresentar as suas campanhas do Dia da Pátria.

Para além dos diagnósticos políticos que levam Causa Galiza a apostar numha jornada nacional com a independência como ideia força, sem matizes nem ambiguidades -a legenda da campanha é ‘A independência é o único caminho’-, a organizaçom apontou algumhas das linhas mestras do chamado ‘Processo Trevinca’. O nome pretende vindicar, segundo os seus impulsores, ‘umha filosofia do esforço e de superaçom das dificuldades’. Trata-se dumha dinámica colectiva para o debate com toda a base social do movimento, que pretende ‘actualizar os diagnósticos sobre a realidade nacional e internacional’. O Processo nom tem vocaçom teoricista, desde que pretende consultar o entorno social do independentismo sobre ‘tacticas, estratégia, linhas políticas sectoriais e modelo organizativo’. Embora arrancará definitivamente no vindouro Outubro, neste momento a proposta está a socializar-se nos círculos de colaboradoras e simpatizantes de Causa Galiza em várias comarcas do país.

O independentismo, na rua

No entanto, Julho será o mês no que a reivindicaçom arredista ecoe com mais força nas ruas da Galiza, tencionando rachar o deliberado silêncio mediático e o habitual trabalho de censura do espanholismo (organizado ou nom) contra a propaganda galega nas cidades e vilas. Com umha campanha combinada entre as doze comarcas que celebram assembleias abertas e as redes sociais, Causa Galiza convocará a se manifestar às 12,30 na Alameda de Compostela, vincando em todos aqueles indicativos (demográficos, sócio-económicos, linguístico culturais) que demonstram a falência do modelo autonómico, precisamente quando este cumpre quatro décadas de vida.