Língua e complexo colonial: o caso irlandês

Por Colm Ó Broin (traduçom do galizalivre) /

Apesar dumha luita heroica que deveu na independência formal de parte do país, a Irlanda nom superou ainda os pesados lastros do colonialismo. O texto que traduzimos a seguir demonstra a aversom de parte das suas e seus habitantes pola própria língua e cultura -ao cabo, aversom por eles mesmos- num exemplo de manual sobre as pegadas mentais da colonizaçom. Nenhum texto poderia resultar mais familiar à comunidade galegofalante que este que segue.

Se você nom acredita que há um preconceito na Irlanda contra o idioma irlandês e os falantes de irlandês, considere que existem certas pessoas que trabalham na mídia nacional que…

1. Negaram a existência da língua irlandesa.

Você vê, a verdade é que nem há língua irlandesa. Havia um monte de dialetos que o Dineen tentou transformar em umha linguagem unificada seguindo umha trama nacionalista ”.

Sarah Carey, 10/02/2017

2. Descreveram o idioma irlandês como um palavrório extranho.

“As placas de rua bilíngües em Dublin som apenas um pouco de inglês e um pouco de extranho palavrório para a maioria das pessoas.”

Malachi O’Doherty, Belfast Telegraph, 17/11/2015

3. Afirmaram que o inglês é superior ao irlandês

“Estou sendo criticado e execrado [qual é a palavra irlandesa para execraçom?] Por dizer que o inglês é um idioma superior ao irlandês. O que foi indelicado (o que é o termo irlandês para indelicado?) É umha disgressom de qualquer maneira. (palavra irlandesa para digressom?) Mas é verdade. Tente dar a volta ao mundo em irlandês.”

Malachi O’Doherty, 21/02/2018

4. Descreveram o nome Mac Gearailt como uma “confecçom gaélica absurda”

“Garret FitzGerald é claramente anglo-normando, nem importa a absurda confecçom gaélica em que ele ocasionalmente traduz seu nome.”

Kevin Myers, Irish Independent, 15/04/2011

5. Descreveram umha música em irlandês como cantarolas de bobagens

“De alguma forma, umha cantarola de bobagens pretensiosas agora é considerado arte de ponta, mas nem é e nunca será.”

Ian O ‘Doherty, Irish Independent, 03/10/2015

6. Associaram a língua irlandesa com pessoas ricas

Mesmo agora há um preconceito de classe dentro da língua irlandesa. Em muitas escolas primárias de língua irlandesa em Dublin, a forma de transporte preferida é um SUV caro ”

Anne-Marie Hourihan, The Times, 15/02/2018

7. Associaram a língua irlandesa com pessoas pobres

“Eu tinha umha antipatia visceral real polo irlandês naquela época … era a linguagem da pobreza e da submissom”.

Ian O’Doherty, Pat Kenny Show, Newstalk, 14/06/2016

8. Empregaram palavras inglesas mui usadas tiradas de outras línguas para criticarem palavras irlandesas tiradas de outras línguas

Estou magoado com a reduçom do irlandês, a mais antiga língua literária falada na Europa, para traduções fonéticas do recém-chegado, o inglês. Quem ganha com a traduçom de “buggy store” para “stóras bugaithe”? Qualquer um que quiger tirar sarro da língua irlandesa, ele verá…”

Victoria White, Examiner Irish, 2015

9. Alegara falsamente que nenhuma nova palavra irlandesa foi criada em 100 anos

“Quando nom há nenhumha palavra intrínseca ou frase em umha língua para algo novo para o mundo nos últimos cem anos ou mais, essa língua nem já está viva.”

Emer O’Kelly, Sunday Independent 05/11/2006

10. Argumentara falsamente que a língua irlandesa está morta

“Entom, mesmo que a língua esteja morta (…) é um carro funerário, é como eu o ouvim já descrito”

Kevin Myers, Irish Independent, 26/01/2007

11. Alegaram falsamente que as escolas de línguas irlandesas som exclusivamente de classe média

Gaelscoils nem existem na maior parte do país. E onde eles fazem, seu apelo parece ter pouco a ver com a língua irlandesa. Mais a ver com o ambiente exclusivamente de classe média (nom o da classe trabalhadora, nem o imigrante). ”

Eoin Butler, 10/08/2016

12. Compararam as escolas de língua irlandesa ao sistema de apartheid racista

“Embora aprecie a linguagem, detesto o apartheid educacional que a acompanha”.

Kate Holmquist, Irish Times, 12/09/2008

13. Apontaram que as escolas de língua irlandesa sugeridas “eliminam” crianças com necessidades especiais

A própria auditoria do departamento mostrou poucas crianças com necessidades especiais em escolas de língua irlandesa – logo as escolas de língua irlandesa estám eliminando essas crianças?”

Kate Holmquist, Irish Times, 12/09/2008

14. Descreveram as escolas de línguas irlandesas como “nonsense da língua irlandesa nacionalista”

Eu criava mesmo inclusom, abolindo a exclusividade. Nenhumha religiom, nenhumha escola privada e nenhum desses absurdos da língua irlandesa nacionalista, que, no meu entender, é a barreira máxima do sistema educacional irlandês ”.

Sarah Carey, Irish Independent, 22/01/2017

15. Associaram as escolas de língua irlandesas com esnobismo e racismo.

Os esnobes (Na Snobi) som aqueles que acham que enviar seus filhos para umha gaelscoil é a única maneira politicamente correta de manter seus filhos longe das classes mais baixas. (Eles nom estam errados.)… É claro que mandar seus filhos para umha escola onde os pais devem falar irlandês pode ser visto por alguns como umha forma de segregaçom racial. Na Snobi estám empenhados em apontar que eles nem som racistas ”.

Pat Fitzpatrick, Sunday Independent, 02/06/2014

16. Descreveram o crescimento das escolas de línguas irlandesas no sul de Dublin como “sinistro”

Além de seus aspectos de arribismos carreiristas diretos, entre as cousas que nom ouvimos sobre o gaeilge durante Seachtain na Gaeilge estava o sinistro desenvolvimento pelo qual a classe dominante está enviando seus filhos para a Gaelscoileanna em números sem precedentes – sul de Dublin, a terra de Ross O ‘ Carroll-Kelly está cheia delas.

Declan Lynch, Sunday Independent, 13/03/2011

17. Associaram os professores de Escolas de línguas irlandesas com o Sinn Féin.

Nas últimas semanas o Sinn Fein apresentou candidatos que se depararam como professores gaélicos, enquanto em Belfast um republicano sênior declarava que ainda tinha acesso ao seu próprio exército.”

Declan Lynch, Sunday Independent, 01/06 / 2014

18 Associram os falantes irlandeses à luita armada do IRA.

se você acha que houve hipocrisia grosseira sobre a língua até agora, apenas observe quam suja ela fica quando os Gaelgoiri e os ‘republicanos culturais’ do pós-terrorista Sinn Fein enfrentam a perspectiva de perder seu precioso Shibboleth.”

”Kevin Myers, Irish Independent, 23/02/2011

19. Compararam ativistas de língua irlandesa ao movimento islâmico fundamentalista Talibá

Os guardiões dos ‘direitos de linguagem’ como prescritos na Lei de Línguas Oficiais têm ido na língua como o Taleban foi no Islã, e nem deixou nada a nom ser o dever legal e a ameaça legal.”

Victoria White, Irish Examiner, 24/09/2015

20. Compararam os palestrantes irlandeses aos comunistas

Mas nom segure sua raça esperando por um quarto de milhom de línguas – os stakhonovitas marchando no pôr-do-sol de 2033, com chaves inglesas gaélicas na mão, em entoando o verso de Erse. ”

Kevin Myers, Irish Independent, 15/03/2013

21. Compararam ativistas irlandeses aos neonazistas

Escrevim sobre a futilidade do programa de restauraçom de idiomas do estado quase toda a minha vida profissional, e o resultado foi triplo. Um, vilificaçom por skinheads Gaeilgeoir sem cérebro, a me apupar e berrar. Dous, a linguagem está mais morta do que nunca. E três, o dinheiro do estado a ser gasto promovendo esta língua condenada cresce sem remorsos ”

Kevin Myers, The Times, 06/09/2015

22. Compararam colégios de verão da língua irlandesa com campos de concentraçom

É aquela época do ano novamente, quando as escolas tentam convencer os jovens a assinar por algumhas semanas em umha das vastas redes de campos de concentraçom do Gaeltacht … desculpe, acampamentos de verão. ”

Eilis O’Hanlon, Sunday Independent, 09/05/2010

23. Compararam a língua irlandesa ao hijab islâmico cobrindo-nos.

A cúpla bliain. Eu escrevi que a língua irlandesa era o equivalente ao hijab, o véu usado polas mulheres muçulmanas ortodoxas como um emblema de identidade e conformidade, umha folha de rosto para cobrir umha teia de fraquezas nom reconhecidas. ”

Anne-Marie Hourihane, Irish Times, 05 / 03/2012

24. Compararam a língua irlandesa à ave que se extinguiu 350 anos atrás.

Nós fingimos que o irlandês é a nossa língua nacional e gastamos centenas de milhões por ano tentando reviver o que é um dodo linguístico.”

Irish Examiner Editorial, 11/05/2012

25. Comparara umha equipa de futebol de língua irlandesa a fundamentalistas e nazistas

Ele disse, olhe, meu caro, você iria e falava em inglês, porque todo mundo que conhecemos, nessa ilha, fala inglês. Nem todo mundo nesta ilha fala irlandês … isso é fundamentalismo.

Você aprenderá o irlandês e fará o certo, certo?! ”

Paul Williams, Newstalk Breakfast, 21/09/2016

26. Escreveram que“ o Gael ”é desonesto.

A única funçom verdadeira da língua irlandesa hoje é que ela demonstra a desonestidade do gaélico, e da piedade que é o seu cartom de visitas.

Declan Lynch, Sunday Independent, 08/04/2012

27. Associaram à língua irlandesa com“ paifocadas”.

“ A impopularidade da língua irlandesa está enraizada no tipo de paifocada rustica com a qual é cercada. Tornou-se a língua internacional da raposaria de feituras bonitas, a trilha sonora balbuciando para um mundo de derrames e pancadas, batidas no ombro e espertezas. ”

Diarmuid Doyle, Sunday Tribune, 19/12/2004

28. Compararam umha escola de língua irlandesa no Gaeltacht com umha mesquita em Londres freqüentada por terroristas islâmicos.

A escola estabeleceu-se como umha espécie de Mesquita madrasa de Finsbury Park à beira-mar.”

Irish Examiner Editorial, 17/10/2007

29. Associaram falantes irlandeses com o abuso sexual de crianças .

A grande maioria de nós nem pode ouvir essa linguagem sendo falada, em qualquer contexto, sem também ouvir algum eco distante de abuso físico e sexual e psicológico ”

Declan Lynch, Sunday Independent, 23/08/2009…

Ou seja , para resumir, nom tenho nada contra os falantes de irlandês – eles “som apenas uns inferiores, extintos, mortos, pobres, ricos, esnobes, desonestos, fundamentalistas, selvagens, sinistros, racistas, terroristas, Sinn Féin-IRA, Comunistas, abusadores sexuais de crianças, nazistas e todo isso…”

*Colm Ó Broin é um falante irlandês de Clondalkin, Dublin e membro da Conradh na Gaeilge. Publicado em broadsheet. ie com o título “I’ve nothing against Irish speakers, but…”