Causa Galiza convoca diversos agentes sociais para tentar um Dia da Pátria independentista unitário

Por Manuel Leboráns /

A proposta dum único acto pró-independência porá-se enriba da mesa neste ano. Fará-o Causa Galiza, que segundo anuncia convocou os diversos agentes políticos, a umha juntança no vindouro fim de semana. A organizaçom entende que se vive um panorama de “emergência nacional e social” no Reino de Espanha, agudizada trás o golpe de Estado contra Catalunha, e visível na crescente agressividade estatal e judicial contra os nacionalismos.

Causa Galiza pretende explorar um “mínimo comum denominador”  que facilitaria a convergência de distintos dos setores  nacionalistas no dia nacional, convertendo a jornada numha afirmaçom do projeto estratégico de naçom livre.

Convite aberto.

Esse mínimo comum denominador pivotaria  sobre um “diagnóstico genérico” -crise do regime espanhol, emergência nacionall, esgotamento do autonomismo…e sobre propostas conhecidas no movimento popular: a rutura democrática com o Estado espanhol e perspetiva independentista como única concreçom fatível da soberania política nas condiçons do Estado espanhol atual.

A convocatória foi dirigida a organizaçons como Agora Galiza, Assembleia Nacional Galega (ANG), Anova, BNG, Cerna, Coletivo Nacionalista de Marim (CNM), Compromiso por Galicia, Frente Popular Galega (FPG), Galiza em Rede, Movimento Galego ao Socialismo (MGS), Partido Comunista do Povo Galego (PCPG), Uniom do Povo Galego (UPG); as centrais sindicais CIG, CUT, Fruga e SLG e as organizaçons juvenis e estudantis Anega, Bátega, Briga, Erguer, Espiral, Galiza Nova, Isca!, UMG e Xeira.

Expectativas

Nada se sabe ainda dos resultados que acadará a iniciativa, que que pretende “pública, e colocada com luz e taquígrafos”. Porém, si se pode dizer, sem temor a errar, que responde a umha demanda  relativamente ampla, como se desprende da boa acolhida que está a ter nas redes sociais poucas horas depois de ter transcendido.